Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/11/17 às 14h07 - Atualizado em 27/11/17 às 15h32

NOTA OFICIAL – Operação do Metrô-DF durante a greve

COMPARTILHAR

Brasília, 27/11/2017 – A Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF) informa que, desde sábado (25), funciona em esquema especial, cumprindo rigorosamente a decisão judicial do Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Serão 18 estações abertas para embarque e desembarque no horário de pico, de segunda a sábado. Nos demais horários, 12 estações permanecerão abertas para embarque e desembarque, sendo que outras seis ficarão abertas apenas para desembarque. (Confira na arte em anexo)

 

 

 

 

As estações 102 Sul, Asa Sul, Concessionárias, Guariroba, Ceilândia Norte e Samambaia Sul permanecerão fechadas durante todo o período de greve.

 

Horário de pico de 2ª a 6ª: 6h às 8h45 e 16h45 às 19h30

Horário de vale (intervalo) de 2ª a 6ª: 8h45 às 16h45 e 19h30 às 23h30

Horário de pico no sábado: 6h às 9h45 e 17h às 19h15

Horário de vale (intervalo) no sábado: 9h45 às 17h e de 19h15 às 23h30

Horário de domingos e feriados: 7h às 19h

Confira na arte abaixo o tempo de espera entre os trens:​

 

 

 


O Metrô-DF esclarece que a estratégia fundamenta-se a partir das seguintes considerações:

1- Com o retorno da operação, no dia 23/11, várias estações foram abertas com apenas um empregado, situação que pode colocar em risco a segurança dos usuários, dos empregados e do sistema. Algumas estações tiveram de ficar fechadas, na abertura do horário de pico da manhã, até a chegada de pelo menos um empregado, mantendo, inclusive, algumas bilheterias fechadas.

 

2 – Com a instalação do Bilhete Único, os usuários que residem próximo às estações que permanecerão fechadas ao longo da greve poderão fazer uso de ônibus até a estação mais próxima. Dessa forma, não serão prejudicados com relação ao custo do transporte, uma vez que usarão apenas uma passagem.

 

3- A equipe de operação do Metrô-DF enfrentou, até o dia 23/11, um ambiente de incerteza operacional diariamente, uma vez que o número de empregados presentes oscilava. Em sistemas com a complexidade como o do Metrô torna-se inviável operar sem estratégias previamente definidas, não cabendo improvisos. A falta de um efetivo mínimo torna inviável a abertura de todas as estações e a adequada operação do sistema. Com a solução operacional apresentada usuários e empregados do sistema terão a certeza das condições da operação eliminando qualquer incerteza e possíveis incômodos.

 

4- A estratégia de abrir 18 estações durante nos horários de pico e 12 nos demais horários permite ainda a continuidade regular dos treinamentos que vêm sendo dados aos novos empregados recentemente convocados, aprovados no último concurso, atendendo a um dos pleitos da categoria e às necessidades da empresa.

O Metrô-DF reitera respeitar o direito de greve e o fiel cumprimento à decisão da Justiça do Trabalho, lamentado os transtornos causados à população.