Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/05/20 às 16h03 - Atualizado em 25/05/20 às 22h53

Semob faz manutenção em mais de 600 abrigos de ônibus

COMPARTILHAR

 

Serviço acontece em dois tipos diferentes de paradas 

 

Mais de 600 abrigos de ônibus do DF passaram por manutenção nos últimos dias.  O serviço está sendo executado em paradas de concreto dos tipos C em 31 regiões administrativas e Niemeyer – que fazem parte do projeto urbanístico original de Brasília – no Plano Piloto e no Cruzeiro Velho.

 

Desde o dia 7 de abril, 606 abrigos do Tipo C, cujas estruturas facilitam o acúmulo de lixo e de água na parte superior, receberam o serviço de limpeza a fim de evitar a proliferação do aedes aegypti.  Mais 192 abrigos passarão, nos próximos dias, pelo segundo ciclo de limpeza.

 

Os locais para executar a medida foram escolhidos levando-se em consideração o maior índice de incidência de casos de dengue, de acordo com dados da Secretaria de Saúde. A higienização está sendo realizada com jatos de água visando à desobstrução dos dispositivos de drenagem e a retirada de sujeira acumulada das lajes.

 

A Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) contratou uma empresa, por dispensa de licitação, para fazer esse serviço de forma emergencial.

 

Abrigos tradicionais

Para dar mais conforto e segurança aos passageiros, paralelamente ao serviço que está sendo executado nos abrigos do Tipo C, as paradas de ônibus tradicionais construídas nas asas Sul e Norte e no Cruzeiro Velho também estão recebendo, desde o início deste mês, melhorias como pintura, reparos em geral e limpeza.

 

Nove, de um total de 150, já passaram pelo processo de manutenção. O serviço aconteceu em abrigos  localizados na W3 Sul, nas quadras 513, 514, 515 e 516. A previsão é de que a melhoria seja executada em 18 abrigos por mês.

 

Esses abrigos tradicionais são aqueles retangulares, revestidos de azulejos, que possuem um vão nas paredes, semelhantes a uma janela, e fazem parte do projeto urbanístico original de Brasília.

 

A ação está sendo realizada pela Semob por meio de uma empresa que atua por concessão e explora a publicidade nesses equipamentos. A revitalização não acarreta custos para o governo, já que por contrato, a empresa é obrigada a realizar a manutenção.