Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/12/17 às 11h35 - Atualizado em 21/12/17 às 19h22

Tempo para usar a integração no DF aumenta de duas para três horas

COMPARTILHAR

Anúncio foi feito pelo governador Rodrigo Rollemberg na inauguração do terminal de Planaltina. Além disso, serviço noturno, conhecido como Corujão, será ampliado

 

AMANDA MARTIMON E GUILHERME PERA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

 

O tempo que os passageiros do DF terão para usar a integração do transporte público passará de duas para três horas. A medida valerá a partir desta sexta-feira (22).
O tempo que os passageiros do DF terão para usar a integração do transporte público passará de duas para três horas. A medida passa a valer a partir desta sexta-feira (22).
O tempo que os passageiros do DF terão para usar a integração do transporte público passará de duas para três horas. A medida valerá a partir desta sexta-feira (22). Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília-1.11.2017

 

O anúncio foi feito pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, e o secretário de Mobilidade, Fábio Damasceno, na manhã desta terça-feira (19), na inauguração do Terminal Rodoviário de Planaltina.

 

Hoje, o passageiro que utiliza o Bilhete Único tem um intervalo de duas horas para fazer até três viagens em qualquer modal — ônibus, micro-ônibus e metrô — e paga no máximo R$ 5.

 

“As pessoas que moravam longe do Plano Piloto viam duas horas de intervalo como pouco. A reivindicação veio especialmente de regiões mais afastadas como Planaltina, Brazlândia e Ceilândia”, disse o governador.


“As pessoas que moravam longe do Plano Piloto viam duas horas de intervalo como pouco. A reivindicação veio especialmente de regiões mais afastadas como Planaltina, Brazlândia e Ceilândia”

Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

 

Com as mudanças, os passageiros do transporte público do DF ganharão mais uma hora para usufruir o benefício pelo mesmo valor. A medida, de acordo com a pasta, beneficiará principalmente a população que reside em locais mais distantes.

 

Por exemplo, se alguém anda em uma linha circular interna, que custa R$ 2,50, depois opta pelo metrô, a R$ 5, e, por último, embarca em uma linha de curta duração, a R$ 3,50, o valor final de toda a viagem será de R$ 5, desde que pague com o cartão do Bilhete Único.

 

Além da economia, a medida dá mais segurança aos passageiros, que não precisarão portar dinheiro e podem bloquear o cartão, caso o percam, e depois recuperar a quantia que estava creditada nele ao pedir uma segunda via.

 

Outro ponto defendido pela secretaria é que, quanto mais gente usa o cartão, maior a agilidade no embarque e, portanto, menor o tempo de viagem.

Mais ônibus rodando na madrugada

O serviço noturno de transporte público do DF, conhecido como Corujão, será ampliado. As alterações no sistema também foram anunciadas pelo governador nesta terça-feira (19).

 

Para atender à demanda, uma nova linha circular — a 351.7 — vai sair do terminal de ônibus de Taguatinga Norte para Águas Claras, com horários das 23 horas às 3h30.

 

 

Ela começa a funcionar na sexta-feira (22), mesmo dia em que moradores do Paranoá, de Arapoanga, em Planaltina, e do Riacho Fundo II também passam a se beneficiar do Corujão.


Em janeiro de 2018, o Corujão passará por uma segunda etapa de reestruturação — serão criadas linhas para Lago Norte, Sol Nascente e Varjão


Três linhas dessas regiões vão rodar durante a madrugada  — o DFTrans vai fazer as alterações necessárias. As linhas do serviço noturno que utilizam a Rodoviária do Plano Piloto operam na Plataforma C.

 

Em janeiro de 2018, o Corujão passará por uma segunda etapa de reestruturação — serão criadas linhas para Lago Norte, Sol Nascente e Varjão. Além disso, o serviço noturno vai operar das 23 horas às 5 horas, horário em que a população já passa a ser atendida pelo serviço básico do sistema.

 

O Corujão foi criado no DF em junho de 1995 por meio da Lei nº 877, de 1995. A legislação — de autoria de Rollemberg, à época deputado distrital — instituiu a obrigatoriedade de manter o transporte coletivo no período noturno em linhas de maior demanda, com frequência não superior a 90 minutos.

EDIÇÃO: VANNILDO MENDES