Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/09/21 às 16h15 - Atualizado em 8/10/21 às 10h11

Mobilidade ativa preserva vidas com ações e obras do GDF

Mortes de pedestres caíram 57,6% e de ciclistas 53% na última década

 

A prioridade para o transporte público coletivo com implantação de faixas exclusivas para ônibus, o incentivo à mobilidade ativa com construções de ciclovias, juntamente com outros projetos do GDF aliados às ações do programa Brasília Vida Segura proporcionaram ao Distrito Federal um trânsito dos mais seguros entre as capitais. O total de acidentes com mortes caiu 54% entre 2010 e 2020, com queda acentuada nos óbitos de pedestres e ciclistas no trânsito da capital federal.

 

A maior queda da série, após o início das ações do programa Brasília Vida Segura, foi a redução de 57,6% nos atropelamentos com morte em 2020, em relação a 2019. As estatísticas são registradas pelo Departamento Nacional de Trânsito do DF (Detran).

 

O Distrito Federal registrou ainda a redução de 27,5% na quantidade de pedestres que foram vítimas fatais, na comparação das duas décadas anteriores. Nos últimos 5 anos, a queda no número de mortes de pedestres acidentados, em relação ao período anterior, foi um pouco maior, com redução de 28%.

 

 

 

 

Para o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro, “a redução nas estatísticas de acidentes e, sobretudo de vítimas fatais, é importante para termos um trânsito mais eficiente e sustentável, além de demonstrar que o trabalho da segurança viária está no caminho certo para preservação da harmonia entre o motorista, o motociclista, o ciclista e o pedestre no trânsito de Brasília”.

 

As estatísticas do Detran apontam ainda a redução de 53% nas ocorrências de mortes de ciclistas em acidentes de trânsito, na década passada em relação à década anterior. Entre 2001 e 2010, a média de mortes de ciclistas no trânsito foi de 55,2 casos por ano, caindo para 25,9 casos por ano entre 2011 e 2020. Nos últimos 5 anos, o programa registrou a queda de 33% no número de mortes de ciclistas em relação aos 5 anos anteriores.

 

Mais uma década

 

Mesmo com o aumento da população em 16% e da frota de veículos em 53%, os resultados obtidos ao final da 1ª Década de Segurança Viária foram expressivos, superando a meta estipulada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Por meio de portaria conjunta, assinada no último dia 26 de maio em reunião com o governador Ibaneis Rocha, o Governo do Distrito Federal garantiu a continuidade do programa na década de 2021 a 2030. A nova meta estabelecida é de reduzir em 50% os índices atuais de acidentes fatais nas vias do DF.

 

A Comissão de Segurança Viária do programa Brasília Vida Segura é composta pela Secretaria de Transporte e Mobilidade, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, DETRAN, DER, DNIT, Corpo de Bombeiros, SAMU, NOVACAP e Secretaria de Saúde.

 

O Brasília Vida Segura é feito pelas secretarias do GDF em parceria com a Ambev, com objetivo de identificar problemas viários que dificultam o de trânsito de veículos e de pessoas, e indicar soluções para a redução no número de acidentes no Distrito Federal.